A ADIAFA

TERMINADA A VINDIMA, MÃOS E CORPOS DORIDOS, CANSADOS, MAS ESPÍRITOS BEM-DISPOSTOS ANTECIPAM AS JORNAS E O QUE COM ELAS FARÃO, ENQUANTO ANSIOSAMENTE AGUARDAM A ADIAFA, AQUELA REFEIÇÃO EM QUE TODOS SE JUNTAM PARA COMEMORAR O FIM DA VINDIMA POR AQUELAS PARAGENS.

AS HISTÓRIAS JÁ MUITO REPETIDAS VOLTAM A CIRCULAR ENTRE TODOS DESPERTANDO AS MESMAS GARGALHADAS, ENQUANTO SE ULTIMAM OS PORMENORES E CHAMAM PARA A MESA.

O VINHO TINTO DO BOM JÁ CORRE PELAS GARGANTAS SECAS, JÁ SE COME PÃO COM AQUELE CHOURIÇO DE TODOS OS ANOS, COM OS TORRESMOS, AS AZEITONAS, OS QUEIJINHOS. À MESA, AO MESMO TEMPO, QUE SE PARTILHA A REFEIÇÃO COM AS MULHERES A TRAZEREM TRAVESSAS E TRAVESSAS PARA QUE NÃO FALTE A COMIDA A NINGUÉM. O VINHO CONTINUA A JORRAR TAL COMO AS HISTÓRIAS ENTRE TODOS, ÀS QUE SE SOMAM ESTA OU AQUELA QUE SE OUVIU NO CAFÉ, NA MERCEARIA, NA BOMBA DE COMBUSTÍVEL.

NO FIM, FUMA-SE UMA CIGARRADA COM O CAFÉ, E AQUELA AGUARDENTE CASEIRA QUE TODOS ADORAM E QUE LHES QUEIMA AS ENTRANHAS, MAS SÃO HOMENS E OS HOMENS AGUENTAM, GOSTAM, POIS SÃO FORTES.

UNS MAIS ENTORNADOS DO QUE OUTROS DESPEDEM-SE NO FIM, MAS TODOS SEM FALTA MARCAM PRESENÇA PARA O ANO QUE VEM, POIS PODE MUDAR MUITA COISA NAS SUAS VIDAS MAS NENHUMA, OS FARÁ ROMPER COM A TRADIÇÃO.

SIM, QUERO MAIS INFORMAÇÕES

Holler Box