VOLTEMOS AO CONSUMO DE VINHOS DO PORTO TINTOS PARA AFIRMAR QUE EMBORA ACEITEMOS O FACTO, CARREGADOS DE TRADIÇÃO, OS DEVEMOS, COMO SEMPRE FIZ, ADAPTAR AOS NOSSOS DIAS, ÀS NOSSAS CASAS, AO NOSSO GOSTO, NUNCA PASSANDO, ISSO NUNCA, AO SEU LADO
É UMA RESPONSABILIDADE FALAR SOBRE OS VINHOS DO PORTO TINTOS, POIS SEMPRE QUE NELES PENSO SINTO O PESO DA HISTÓRIA E, COM ELA, DA TRADIÇÃO SOB OS MEUS OMBROS, E O SEU OLHAR ATENTO NÃO VÁ DIZER ALGO QUE NÃO
PARA TRÁS, DEIXÁMOS OS VINHOS DO PORTO BRANCOS (OBTIDOS A PARTIR DE UVAS BRANCAS), NÃO POR SEREM MENOS IMPORTANTES, MAS POR SEREM COMERCIALIZADOS EM MENORES QUANTIDADES E, POR ISSO, MENOS CONHECIDOS. NUMA ABORDAGEM SIMPLISTA ESTES VINHOS PODEM CLASSIFICAR-SE ENTRE OS
SIGAMOS AGORA OS PASSOS DOS VINHOS DO PORTO TINTOS CUJO DESTINO APÓS FERMENTAÇÃO SÃO O ESTÁGIO NA MADEIRA, SEJA EM PIPAS, BALSEIROS OU QUARTOLAS. PARA DESTINOS DIFERENTES, ESTILOS DIFERENTES, EIS QUE COM O DECORRER DO TEMPO NOS SURGEM OS TAWNYS
EIS-NOS CHEGADOS AO TOPO DO VINHO DO PORTO TINTO, O VINTAGE, VINHOS DE UM SÓ ANO, POR VEZES DUMA SÓ PROPRIEDADE, E OUTRAS AINDA DE UMA SÓ PARCELA, TAL A IMPORTÂNCIA QUE OS PRODUTORES ATRIBUEM A ESTAS SUAS JÓIAS. COMO
error: Conteúdo Protegido

SIM, QUERO MAIS INFORMAÇÕES

Holler Box