“DEUS CRIOU O HOMEM E A ÁGUA, MAS O HOMEM CRIOU O VINHO, E O HOMEM DO DOURO, ATURADO E ATENTO, CRIOU O VINHO DO PORTO”  ALFREDO SARAMAGO IN O VINHO DO PORTO NA COZINHA, HISTÓRIA E GASTRONOMIA, COLLARES EDITORA.
DESDE QUE O MUNDO É MUNDO, QUE O VINHO É VINHO, SEMPRE FOI APRECIADO PELOS HUMANOS, QUE É O MESMO QUE DIZER POR TODOS NÓS. O SEU PERCURSO ATÉ AOS DIAS DE HOJE NÃO DEIXA DE SER ATRIBULADO E CHEIO
A MADEIRA – BARRICAS – SURGE DESTA FORMA COMO A RESPOSTA NATURAL PARA O ARMAZENAMENTO E TRANSPORTE DE VINHOS, UMA VEZ QUE A CAPACIDADE E RESISTÊNCIA DEIXAM DE SER UM PROBLEMA, QUE BASICAMENTE SE CENTRA NA EVAPORAÇÃO QUE ACONTECE QUANDO
EIS UMA BOA PERGUNTA QUE SE RESPONDE COM PRAZER. ESTA É, DIRIA, UMA QUESTÃO CLARAMENTE COLOCADA POR ALGUÉM QUE NASCEU NO SÉCULO XX QUE SE DEU AO TRABALHO DE QUESTIONAR QUAL A RAZÃO DE TANTO TRABALHO PARA ARMAZENAR O VINHO
VIVE UM HOMEM UMA VIDA DE TRABALHO E SÓ DE VEZ EM QUANDO OUVE UMA PERGUNTA DIGNA DESSE NOME, OU SEJA INTELIGENTE. E ESTA, MINHAS SENHORAS E MEUS SENHORES É UMA DELAS, ISTO PORQUE VALE A PENA REFLECTIR UM POUCO
error: Conteúdo Protegido

SIM, QUERO MAIS INFORMAÇÕES

Holler Box